Ce em Destaque
Manobra

Davi Alcolumbre antecipa sessão que pode derrubar vetos de Bolsonaro

Se os vetos forem derrubados, seria retomada a proposta aprovada no Congresso, com regras mais duras sobre abuso de autoridade e que foram motivo de críticas de juízes e promotores que falavam em tentativa de cercear investigações da classe política

24/09/2019 08h38
Por: Redação Ceará em Destaque
Fonte: Agência Brasil

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), antecipou em uma semana a sessão do Congresso que pode derrubar os vetos feitos pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) à lei de abuso de autoridade. O projeto sobre abuso especifica condutas e prevê punições a juízes, promotores e policiais. No começo do mês, Bolsonaro vetou trechos de 19 dos 45 artigos no texto aprovado pelo Congresso.

A decisão de postergar a apreciação da reforma da Previdência pegou o governo de surpresa. Alcolumbre publicou nas redes sociais o adiamento para a votação em plenário da reforma da Previdência para amanhã. “Por conta da realização da sessão do Congresso Nacional na próxima terça-feira (hoje), a votação em primeiro turno da Reforma da Previdência (PEC 6/2019), no Plenário do Senado, iniciará na quarta-feira (25), às 16 horas”, escreveu.

A decisão de Alcolumbre ocorre quatro dias após operação da Polícia Federal no Senado que teve como alvo o líder do governo Bolsonaro, senador Fernando Bezerra (MDB). A ação com buscas e apreensões feitas pela PF na quinta-feira (19) foi autorizada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, e irritou parlamentares, que passaram a admitir um efeito colateral em relação ao governo e ao Judiciário.

Se os vetos forem derrubados, seria retomada a proposta aprovada no Congresso, com regras mais duras sobre abuso de autoridade e que foram motivo de críticas de juízes e promotores que falavam em tentativa de cercear investigações da classe política. A eventual derrubada dos vetos representaria uma derrota para o governo e, principalmente, para o ministro da Justiça, o ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro. A sessão conjunta de deputados e senadores, antes prevista para a semana que vem por causa das votações da Previdência e da indicação de Augusto Aras para a Procuradoria-Geral da República (PGR), agora está marcada para as 15h de hoje. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.