Ce em Destaque
1.000 pessoas

Grupo promove ato em apoio a conselheiro tutelar acusado de estupro em Choró

De acordo com os organizadores o ato teve início às 10h desta terça. O grupo estava em carros e motos e saiu do bairro Vila de Fátima, percorrendo as principais ruas de Choró

30/07/2019 15h29Atualizado há 2 meses
Por: Redação Ceará em Destaque

Um grupo formado por aproximadamente 1.000 pessoas, estimado pela organização, promoveu na manhã desta terça-feira (30) no município de Choró, uma manifestação em defesa do conselheiro tutelar do município, Jonatas Vieira Alves, apontado como suspeito de abusar sexualmente de duas adolescentes.

De acordo com os organizadores o ato teve início às 10h desta terça. O grupo estava em carros e motos e saiu do bairro Vila de Fátima, percorrendo as principais ruas de Choró. Os participantes do movimento fizeram todo o percurso em silêncio. Eles não carregavam faixa nem cartazes. Também não havia música. Conforme o radialista Weldo Barros, um dos organizadores, o silêncio era uma demonstração de indignação da população.

"Foi uma manifestação silenciosa porque nos entendemos que a sociedade (quando foi feita o inquérito) não foi ouvida, e por isso nós nos calamos. A sociedade está amordaçada vendo um filho do Choró sendo acusado de uma coisa sem nexo", disse o radialista.

A manifestação durou cerca de uma hora. Para Weldo a ação foi um momento de grande emoção. Comerciantes choravam e acenavam para os carros que faziam o comboio, segundo relatou. A grande maioria dos que aderiram ao ato acreditam que Jonatas é inocente. Uma das organizadoras do movimento é, inclusive, uma ex-conselheira de Choró. O ato se encerrou na praça central do Município.

Relembre o caso

Jonatas Vieira Alves foi eleito em 2015 para um dos cargos a conselheiro tutelar do Município. De acordo com as investigações da Polícia Civil de Quixadá, há seis meses a investigação apontou Jonatas como suspeito de estupro de vulnerável contra duas irmãs, de 14 e 12 anos.

Os abusos ocorriam desde o ano passado, conforme a Polícia. Jonatas era vizinho das vítimas e, conforme apurou a Polícia, os abusos chegaram a ocorrer dentro da própria sede do Conselho Tutelar de Choró. Ele teve a prisão decretada mas é considerado foragido.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.